Ficha Técnica
Dramaturgia e Direção - James Fensterseifer / Assistência de Direção - Paola Molinari
Iluminação - Marcelo Augusto / Figurino e Maquiagem - Marcus Barozzi e Rubens Fontes
Trilha Sonora Original - André Togni / Operador de Som - Augusto Anjinho
Cenógrafia e Adereços - Guto Viscardi e Joana Lopes / Costura: Joventina Santos
Ass. de Imprensa e Fotografia - Adla Marques / Vídeo - Roberta Rangel e Martin Schwantes
Programação Visual - Rubens Fontes / Assistente de Produção - Dani Xisto
Produção - Associação Brasilienses de Teatro

Elenco - Cirila Targhetta, João Rafael, Luciana Martuchelli,
Rômulo Augusto, Similião Aurélio, Simone Marcelo e Túlio Starling

Atores

Baseado no romance “O Cavaleiro Inexistente” de Ítalo Calvino, o espetáculo traz a divertida história do obstinado cavaleiro Agilulfo, modelo de soldado que serve ao rei Carlos Magno com força de vontade e fé na santa causa e que de embaraço carrega somente o fato de não existir.

A trama não se resume ao fato de Agilulfo não existir. Mesclando leveza e profundidade, humor e melancolia, reflexão e ironia, o texto tira proveito dessa idéia bastante singular para trabalhar a questão do que é ser. A armadura branca, brilhante, que abriga apenas uma voz, compõe um cavaleiro em busca da afirmação de sua existência.

A peça, que faz parte do projeto de pesquisa da companhia - “Palco Para Nossos Antepassados”, aprofunda a discussão filosófica sobre o homem contemporâneo e faz uma reflexão metaficcional acerca da escrita, por meio da personagem narradora: Irmã Teodora. Freira em seu claustro, ela cria as desventuras de Agilulfo e questiona a si mesma o ato de escrever, indagando: até que ponto é possível encontrar um sentido para a literatura a não ser fora dela?

Temporadas: Brasília - (2008) CCB - Sala Loyola e Teatro SESC Garagem / Sabará/MG (2008) Casa da Ópera (Teatro Municipal)